Festival Música nas Montanhas

A partir das 9 h do dia 9 a 18 de Janeiro de 2020, a Secretaria do Festival estará disponível no Centro Cultural da Urca, em Poços de Caldas-MG.

FACEBOOK: MUSICANASMONTANHAS

CIRCUITO DE FESTIVAIS - 2020
Direção Artística: Maestro Jean Reis

Poços de Caldas - MG 9 a 18 Janeiro

www.festivalmusicanasmontanhas.com.br
Bauru - SP 19  a 25 de Janeiro
www.fimub.com.br

Bagé - RS > Julho
www.fimp.com.br

Lages - SC > Julho
www.musicanaserra.com.br

DIREÇÃO CÊNICA,

FRANCISCO MAYRINK

Músico, produtor cultural e diretor de cena, é mineiro da capital. Regente e diretor artístico do Coral da Refinaria Gabriel Passos – REGAP, em Belo Horizonte, de 1980 a 1991, além de diretor da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais – OSMG, de 1978 a 1991. Por três anos Diretor de Promoção Artística da Fundação Clóvis Salgado – Palácio das Artes, em Belo Horizonte, sendo responsável pela área de captação de recursos para a Instituição, onde foi funcionário até 2011. 

Secretário de Cultura da cidade histórica de Sabará/MG, de março de 2005 a dezembro de 2008. Em 2013, nomeado membro do Conselho Deliberativo do Patrimônio Histórico e Artístico de Sabará/MG.

Na área de direção cênica de espetáculos líricos, trabalhou como assistente de Tisuka Yamasaki, Bibi Ferreira, Fernando Peixoto, Juarez Cabello e Elvécio Guimarães.

Assina a direção de mais de cem montagens, tendo se apresentado nos mais importantes teatros brasileiros. Em 2004 dirige a estreia mundial a ópera “Aquiry – a luta de um povo”, do compositor acreano Mário Lima Brasil, no Teatro Plácido de Castro, em Rio Branco/Acre, em comemoração ao centenário e independência do Acre; “Madama Butterfy”, montagem ao ar livre, com a soprano japonesa Eiko Senda. Seus últimos trabalhos foram, em 2010 La Traviata no Teatro da Paz, em Belém e Suor Angélica, no Teatro Carlos Gomes em Vitória do Espírito Santo, em abril de 2011; Il Guarani, no Teatro Castro Alves em Salvador /BA; em junho, Pagliacci, no Teatro Nacional Claudio Santoro, em Brasília/DF; em setembro, Pagliacci, no Teatro Carlos Gomes, em Vitoria/ES e, em novembro, em Montes Claros/MG, A Flauta Mágica. Em 2012 dirige: La Traviata e Cavalleria Rusticana, em Campo Grande (Teatro Glauce Rocha); Carmen, em Brasília (Teatro Nacional Claudio Santoro); Carmen, em Salvador (Teatro Castro Alves); e Così fan tutte, em Vitória (Theatro Carlos Gomes). Em maio/2013 dirigiu Suor Angelica, no Centro Cultural Hermes de Paula, em Montes Claros/MG. Curador do III Festival de Ópera de Brasilia (Carmen e Olga, de Jorge Antunes); dirige Carmen, no Teatro Glauce Rocha, de Campo Grande/MS; Madama Butterfly, no Teatro Carlos Gomes, em Vitória/ES e Pagliacci, no Teatro Castro Alves, em Salvador/BA. Em maio/ junho de 2014, dirige Il Barbiere di Siviglia, de Rossini, no Theatro Municipal de Sabará e no Centro Cultural Hermes de Paula, em Montes Claros/MG e no Theatro Carlos Gomes, em Vitória/ES para a Cia de Ópera do Espírito Santo. Em 2015 realizou os seguintes trabalhos: concepção e direção de Cavalleria Rusticana, em Montes Claros/MG; Masterclass “Nós e Vozes”, para a Fundação Marina Lorenzo Fernandez/Universidade de Montes Claros e concepção e direção de Dido and Aeneas, para a Cia de Ópera do Espírito Santo, em Vitória/ES. Em 2016 dirige O Empresário em Montes Claros, e no Iº Festival SESI de Ópera – Camerata Sesi (Bastien und Bastienne; e Der Schauspieldirektor, em Vitória/ES; a “Cantata de Natal”, em Oriximiná/PA e Amahl e os Visitantes da Noite, de Menotti, para a Cia Mineira de Ópera, no Teatro Raul Belem Machado, em Belo Horizonte. Em 2017 dirige para o Centro de Formaçao Artistica do Palacio das Artes, em Belo Horizonte, a ópera Venus and Adonis de John Blow; coordena o projeto Circuito Cultural Trombetas – 3ª edição, em Oriximiná/PA onde dirige a segunda edição da Cantata de Natal; dirige La Bohème, de Puccini, para a II edição do Festival Sesi de Óperas. Em 2018 dirigiu, no Teatro Glauce Rocha, Campo Grande/MS, O Empresário, de Mozarte, e,no III Festival Sesi de Ópera, Domitila,de Joao Guilherme Ripper e La cambiale di matrimonio, de Rossini.