Workshop

Violão

Dinho Nogueira e Zé Barbeiro  propõem o ensino estruturado do principal e primeiro estilo que foi chamado de “música brasileira”, O Choro, através da união do conhecimento prático, teórico e histórico, onde utilizam uma didática e abordagem que podem ser aplicada a qualquer público, profissional ou não, e a quaisquer instrumentistas ou formações, poden- do ocorrer desde o formato Workshow, para simples apreciação, formação sociocultural, ou para estudantes/profissionais de música em períodos de curta, média ou longa duração com caracter formativo.

A Oficina do Choro também possui um formato de curso/palestra voltado para a formação de professores e profissionais de outras áreas que visam ter, através da música, um conhecimento interdisciplinar da formação e do desenvolvimento da cultura brasileira.

DESENVOLVIMENTO E METODOLOGIA

A estrutura do curso propõe dividir o Choro em três fases:

• Início ou 1ª fase, marcada pelas bandas militares e civis e também pelos grupos de pau e corda. Essa fase teve início em meados do séc. XIX e durou até o início do sec. XX. Alguns de seus representantes citamos Joaquim Callado, Chiquinha Gonza- ga, Anacleto de Medeiros, , Henrique Alves de Mesquita, e como elo para a 2 ̊ fase Ernesto Nazareth e Villa Lobos. Nessa fase a Valsa, a Polka, o Lundu e o Maxixe tem papel fundamental.

• Na 2ª fase, o choro já era concebido como um estilo nacional, pelos chorões e pelo público. Período que ocorreu entre 1910 até 1970 e dentre os principais repre- sentantes desse período destacamos Pixinguinha, porém temos outros com grande importância como Garoto, Jacob do Bandolim, Luiz Gonzaga, João Pernambuco, entre outros.

FUSÃO DAS EXPERIÊNCIAS E UM POUQUINHO DE HISTÓRIA

O curso foi estruturado procurando unir o conhecimento prático que Zé Barbeiro acumula como músico e compositor ao longo de mais de 35 anos de carreira aos estudos e experiência teórica e didática que Dinho Nogueira possui há mais de 20 anos atuando como professor, pesquisador, compositor e músico.

 

Zé é um dos principais violonistas 7 cordas do Brasil e ha mais de 20 anos é uma das principais referências desse instrumento dentro do choro para o mundo. Já atuou ao lado de nomes como Altamiro Carrilho, Carlos Poyares, Armandinho, Leny Andra- de, Elizete Cardoso, Zeca Pagodinho, entre outros.

 

Dinho Nogueira foi aluno de Claudio Leal Ferreira com quem estudou harmonia, arranjo e rearmonização por cinco anos, também forma- do em violão erudito pela Unicsul-SP e em guitarra MPB/JAZZ pelo conservatório de Tatuí-SP. Foi regente do regional de choro do Guri Santa Marcelina-SP, instituição onde também é pro- fessor. Também é coordenador pedagógico professor harmonia, história da música, prática, instrumento da Academia de música Amuse em São Paulo SP.

Os dois músicos sintetizam no curso a experiência prática, conhecimento e análise teórica, pesquisa histórica/sociocultural em uma didática apurada.

 

ALÉM DA OFICINA

A dupla também possui um importante trabalho de concertos em duo de violões de seis e sete cordas com o qual já grava- ram juntos dois álbuns, sendo o último gra- vado ao vivo em Paris no ano de 2018. Com esse álbum já realizaram concertos de lan- çamento em quatro países da Europa e em diversos estados do Brasil.

• Por último temos a 3a fase, marcado pela formação do grupo Camerata Carioca, liderada por Radamés Gnatalli, que influenciou novos chorões a romperem com a tradição formal e estilística firmada na 2 ̊ fase, buscando novos sabores para o choro. Assim vem ocorrendo até os dias de hoje através de grandes nomes como Laercio de Freitas, Esmeraldino Salles, Alessandro Penezzi, Paulinho da Viola, Zé Barbeiro, entre outros.

Dentro da estrutura exposta acima Dinho e Zé apresentam e desenvolvem todas as características que justifica essa divisão, mostrando as formações, instrumentação, diferenças no estilo de composição, os conteúdos harmônico/melódico/rítmico, os compositores/interpretes e o contexto sociocultural de cada fase, possibilitando que os alunos possam vivenciar através de práticas de composição, interpretação e arran- jo, assim desenvolvendo um domínio e conhecimento aprofundado das diferenças que distinguem cada fase. O curso é todo personalizado e apostilado.

ALGUMAS DAS OFICINAS JÁ REALIZADAS NO BRASIL E NO EXTERIOR.

1- Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP

https://centrodepesquisaeformacao.sescsp.org.br/atividade/ofi- cina-de-choro-com-ze-barbeiro-e-dinho-nogueira

 

2- Londres-UK 2018 

https://www.eventbrite.co.uk/e/master-class-of-choro-feat-ze- barbeiro-and-dinho-nogueira-tickets-44218892899#

 

3-  Entrevista na Rádio Internacional da França RFI

Video https://youtu.be/45TtUnerfkY

Matéria UOL http://br.rfi.fr/brasil/20180528-rfi-convida-dinho-nogueira-e-ze-barbeiro-silva

 

4-  Festival do Choro de Paris em 2019 no Club du Choro de Paris – curso de composição

https://youtu.be/6ux7zQt7vr0

 

5- Master Class de Choro – violão de seis e sete cordas e concerto em em Bruxelas (Belgica) 2019. 

https://www.brusselslife.be/en/event/bresil-choros-guitares-le-clube-do-choro -de-bruxelles-dinho-nogueira-et-ze-barbeiro-1

 

6- Festival de música instrumental brasileira de Ourinhos – SP de 2018. 

https://youtu.be/- Vtr1SIJYQnk

 

7- XX Festival Música nas Montanhas de Poços de Caldas MG 

https://ims.com.br/even- tos/festival-musica-nas-montanhas-20-ims-pocos/

 

8- Workshow Sesc Santana em São Paulo em duas edições

https://guia.folha.uol.com.br/shows/2019/01/em-show-no-sesc- santana-violonistas-dinho-nogueira-e-ze-barbeiro-contam-historia-do-choro.shtml

 

9- Oficina e Workshow para os alunos jovens e 3 ̊ idade da Fábrica de Cultura-Jacanã-SP. Carga horaria de três horas no Sesc Itaquera em São Paulo SP. Caráter apreciação musical e formação sociocultural. 

https://www.sampaonline.com.br/cultura/espetaculo.php?id=84688

 

10- Projeto música e cidadania para o Clube do Choro de Santos-SP. Oficina realizado em escola da rede municipal para os alunos do 9 ̊ ano do ensino fundamental. Carga horário de duas horas em formato de Workshow. Caráter apreciação musical e formação sociocultural. 

http://www.choroecidadania.org.br/oficina-de-choro-com-ze-barbeiro-e-dinho-nogueira/

 

11- Instituto Moreira Salles-Poços de Caldas-MG – Abril 2017 – Curso com carga horaria de oito horas de duração para músicos e grupos da região. Carácter de formação.

 https://ims.com.br/eventos/festival-musica-nas-montanhas-20-ims-pocos/

 

12- Live Sound – conferência internacional no Colégio de Música Cristão-Jundiaí-SP – Ofi- cina de duas horas realizada para alunos e professores do conservatório com caráter formativo e apreciação musical e apresentação com Hamilton de Holanda. 

https://youtu.be/TyVzKjoyIcQ

 

Apreciem o choro sem moderação. Isso é Brasil...

Atenção: Alunos que não participarem do Encontro de Contrabaixo  devem chegar domingo, dia 12 de janeiro, at​é às 16 horas. ​

Festival Música nas Montanhas

A partir das 9 h do dia 9 a 18 de Janeiro de 2020, a Secretaria do Festival estará disponível no Centro Cultural da Urca, em Poços de Caldas-MG.

FACEBOOK: MUSICANASMONTANHAS

CIRCUITO DE FESTIVAIS - 2020
Direção Artística: Maestro Jean Reis

Poços de Caldas - MG 9 a 18 Janeiro

www.festivalmusicanasmontanhas.com.br
Bauru - SP 19  a 25 de Janeiro
www.fimub.com.br

Bagé - RS > Julho
www.fimp.com.br

Lages - SC > Julho
www.musicanaserra.com.br