Vivência em
Choro

Com o Duo Zé Barbeiro & Dinho Nogueira e participação do Trio Chorinho Sulfuroso 

sexta 14 jan 14h
IMS Poços de Caldas

*Observação: apresentar comprovante de vacinação para o acesso ao IMS (Instituto Moreira Salles)
 

“Vivência em Choro” – Oficina de Choro com o Duo Zé Barbeiro & Dinho Nogueira e participação do Trio "Chorinho Sulfuroso"  
 

Sexta-feira, 14 de janeiro de 2022, 14h
IMS Poços (Rua Teresópolis, 90)
Inscrição na hora (gratuita) 


A oficina proposta para o 23º Festival Música nas Montanhas de Poços de Caldas, que ocorrerá na tarde de sexta-feira, 14 de janeiro, no Instituto Moreira Salles (IMS Poços), sugere uma experiência em que os alunos de todos os níveis e instrumentos poderão participar de um grande grupo, onde alguns temas conhecidos do Choro serão objeto de desenvolvimento para que o Duo possa desenvolver assuntos como interpretação, acompanhamento, arranjo, improviso e estilo. 
         

 

Duo: Zé Barbeiro & Dinho Nogueira
O Choro é sem dúvida o principal gênero musical que pode ser considerado genuinamente brasileiro. Ele nasceu e se desenvolveu no Brasil no final do sec. XIX. Dentre os nomes de destaque que temos no Choro, Zé Barbeiro e Dinho Nogueira são considerados importantes referências porque unificam a tradição e modernidade do choro. Zé Barbeiro é um dos mais importantes violonistas 7 cordas e compositor atuante no cenário musical e Dinho Nogueira, além de músico, sempre atuou como professor, pesquisador, compositor e arranjador, criando então uma parceria ímpar com Zé. O Duo já gravou três discos, um deles “Ao Vivo em Paris”.


Em 2020, juntos, venceram um prêmio do Proac São Paulo-SP, realizaram duas turnês pela Europa subindo em palcos importantes de casas de shows e festivais internacionais e ministraram cursos e oficinas em instituições públicas e privadas por todo o Brasil.

 

Show com o trio Chorinho Sulfuroso e em seguida a roda de choro com os integrantes do workshop

Sábado: 15 de janeiro de 2022, 11h
Jabuticabeira do IMS Poços (Rua Teresópolis, 90)


No sábado, 15 de janeiro, na parte da manhã, haverá uma roda de choro na jabuticabeira do IMS de Poços de Caldas, onde esse grupo da oficina irá apresentar o resultado da oficina ao público, além de outros músicos que serão convidados a participar da roda, como de costume nesse tipo de evento.

Trio “Chorinho Sulfuroso”
Otávio Quartier, Jorge Viviani e Gesinho Jimmy

A busca da rica memória musical brasileira uniu os músicos Otávio Quartier (clarineta /saxofone), Jorge Viviani (violão) e Gesinho Jimmy (percussão). Nasceu assim, em junho de 2002, o Trio Chorinho Sulfuroso. Apresentada à Prefeitura Municipal de Poços de Caldas /Divisão de Cultura, a proposta foi prontamente acolhida.

Iniciando suas apresentações, o Trio foi convidado a abrir o show do Quarteto em Cy, no Julhofest 2002, merecendo elogios dos colegas e de todo o público presente. A partir daí, passou a realizar apresentações semanais em locais públicos de Poços de Caldas, conquistando um grupo cada vez maior de admiradores.

Com um repertório de sucessos de grandes nomes do choro como Pixinguinha, Ernesto Nazareth, Waldir Azevedo e outros; com um figurino característico de época, o Trio Chorinho Sulfuroso chamou a atenção de moradores locais e turistas em visita à cidade.

Passou a receber convites para diversos eventos de destaque em Poços de Caldas e região, como o Projeto Arte na Rua, lançamento do livro de Nilmário Miranda, abertura do primeiro show no Brasil do “New York Jazz Trio”, formado por músicos da banda do cineasta Woody Allen.


Em 2004, o Trio conta com o apoio da Secretaria Municipal de Turismo para duas apresentações semanais fixas, no tradicional Coreto da cidade. A seguir, a gravação de dois Cd’s e vários convites para importantes eventos, tais como o Festival Música nas Montanhas, o Brasil Instrumental Andradas e apresentações no IMS- Casa da Cultura de Poços de Caldas.


Grandes sucessos do choro e músicas inéditas fazem parte do seu repertório: André de Sapato Novo (André Vitor Correa), Amoroso (Garoto), Apanhei-te cavaquinho; Brejeiro; Odeon (E. Nazareth), Atrevido; Pedacinho do Céu (Waldir Azevedo), Carinhoso; Rosa (Pixinguinha), Doce de Coco; Noites Cariocas (Jacob do Bandolim), Espinha de Bacalhau (Severino Araújo), Quebrei o Braço (Josimar Agnus Pereira), dentre outros.

O grupo conta ainda com uma outra proposta de show, onde além da interpretação de sucessos do gênero, apresenta, de forma didática, a história do Choro no Brasil até os dias atuais.